Comunicare

Blog

29 de mai de 2018

Insônia: causas, prevenção e tratamento

Insonia Imagem

Priscila Pacheco Cabral

A insônia tem como característica principal a dificuldade para iniciar ou manter o sono de forma satisfatória. Para que seja clinicamente significativa, a queixa relatada deve ocorrer no mínimo três vezes na semana e por no mínimo de um mês, somado a um prejuízo na vida social e ocupacional do indivíduo. Consiste em uma das queixas mais comuns de distúrbio do sono, principalmente nas mulheres e sua prevalência é de 10 a 40% na população em geral”.

Os transtornos do sono se subdividem em dissonias (caracterizadas por causar sonolência diurna excessiva ou dificuldade para iniciar e/ou manter o sono) e em parassonias (caracterizadas pela presença de condutas anormais associadas ao sono, como o sonambulismo). A insônia pode ser ainda, um distúrbio secundário causado por outros motivos, como doenças ou uso indevido de medicações e de substâncias estimulantes (cafeína).

Em se tratando das principais causas, temos:

1. Estresse – Pode ser provocado por preocupações na família, no trabalho, ou mesmo na própria saúde. Assim, a mente fica ativa durante a noite, dificultando o sono.

2. Ansiedade – A própria preocupação com a possível dificuldade em adormecer, acaba atrapalhando o sono.

3. Condições clínicas – Algumas doenças podem estar associadas à insônia, assim como dificuldade para respirar. Exemplos disso é a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) e Doença do refluxo gastroesofágico.

Como forma de prevenção, adotar bons hábitos favorece para uma boa noite de sono. Aconselha-se tentar manter um horário para adormecer e acordar, mesmo aos finais de semana; realizar atividades que aliviam o estresse, como caminhar; fazer refeições leves e evitar alimentos com substâncias estimulantes, desligar aparelhos eletrônicos ao se deitar e manter o quarto organizado e aconchegante.

O sono de qualidade melhora o equilíbrio físico, mental e emocional do ser humano, fortalece o sistema imunológico, previne doenças e tem grande importância para o bom funcionamento do cérebro.

O tratamento pode ser não farmacológico como: higiene do sono, terapia cognitiva, acupuntura, e farmacológico através de antidepressivos, ansiolíticos, de fármacos indutores do sono e os de ação sedativa. Se a opção for medicamentosa, é fundamental o acompanhamento médico para direcionar uma escolha assertiva no tratamento.

Em se tratando da higiene do sono, é um método importante que busca reeducar os hábitos relacionados à saúde que sejam benéficos ou prejudiciais, como por exemplo, a dieta, o exercício físico e o uso de sustâncias de abuso e ao comportamento, como a luz, os barulhos, a temperatura e o colchão. A higiene do sono possui algumas recomendações, que são:

1) Usar o quarto e a cama somente para dormir e para a pratica de atividade sexual, evitando, sempre, o uso de aparelhos eletrônicos como celulares, televisão, entre outros;

2) Evitar o barulho, a luz (cortinas nas janelas) e a temperatura excessiva (cobertor/ar-condicionado) durante o período do sono;

3) Evitar, entre outras, a cafeína, a nicotina e as bebidas alcoólicas nas últimas 4-6 horas que antecedem o sono.

Dormir é uma função tão importante para o organismo quanto comer ou beber água. Mais do que isso, uma boa noite de sono traz benefícios para a saúde, prevenindo doenças como a depressão, obesidade, combate a hipertensão, diabetes, fortalece a memória e diminui o risco de doenças cardiovasculares.

__________________________________________________________________________________

REFERÊNCIAS

LISBOA, Adriana Rodolfa Ferreira; NASCIMENTO, Ana Paula Cucinello Demetrio. Acupuntura no tratamento da insônia: Uma revisão bibliográfica. 2014. 59 f. Monografia (Especialização) – Curso de Formação de Especialista em Acupuntura, Faculdade de Educação, Ciência e Tecnologia – Unisaúde, São José dos Campos, 2014. Disponível em: <http://www.firval.com.br/ftmateria/1411747923.pdf>. Acesso em: 23 abr. 2018.

PASSOS, Giselle Soares et al. Tratamento não farmacológico para a insônia crônica. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 29, n. 3, p.279-282, 22 maio 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-44462007000300016&script=sci_abstract>. Acesso em: 15 maio 2018.

PERES, Ana Cláudia. Dormir bem é fundamental para a saúde, alertam especialistas. 2016. Disponível em: <http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/51831-dormir-bem-e-fundamental-para-a-saude-alertam-especialistas>. Acesso em: 22 abr. 2018.

Compartilhe
Envie seu comentário